Diabetes Mas Afinal, que é Diabetes? | Diário do Diabetes
Diabetes

Diabetes
Mas Afinal, que é Diabetes?

De forma geral, o diabetes se caracteriza pela produção insuficiente ou ação ineficaz da insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas, que é responsável por transformar em energia o açúcar presente em nosso sangue (glicemia). Quando esse processo fica comprometido, precisamos tomar algumas ações para controlar nossa taxa glicêmica e evitar complicações, como problemas cardiovasculares, oculares e renais, entre outros.

Os tipos de Diabetes

Os principais tipos de diabetes são: o Diabetes Mellitus Tipo 1 e o Diabetes Mellitus Tipo 2.

Diabetes Tipo 1

O Diabetes Mellitus Tipo 1 é mais comum em crianças e adolescentes, embora possa se manifestar em pessoas de outras idades. Esse tipo de Diabetes ocorre quando as Ilhotas de Langerhans são destruídas e param de produzir a insulina. Por este motivo, o tratamento passa pela necessidade de utilização de injeções de insulina, desde o diagnóstico. O Diabetes Tipo 1 não está associado ao excesso de peso do paciente e, na maioria das vezes, surgem repentinamente.

O Diabetes Tipo 1 é o menos frequente dos dois principais tipos de diabetes, atingindo aproximadamente 1 para cada 250 pessoas. Embora possa ocorrer em pacientes de todas as idades, é mais comum em pessoas com menos de 20 anos. Segundo as estatísticas, o diabetes tipo 1 atinge homens e mulheres na mesma proporção, embora seja mais comum em pessoas brancas do que em negras. Dos casos de diabetes notificados no mundo todo, somente 10% deles são do tipo 1.

Sintomas do Diabetes Tipo 1

Na maioria dos casos, os sintomas iniciais do diabetes tipo 1 são muito sutis, embora em alguns caso pacientes possam ser severos desde o princípio. Os sintomas mais comuns são:

  • Sede excessiva
  • Boca seca
  • Náuseas e vômitos
  • Dor abdominal
  • Vontade de urinar excessivamente e com volume maior de urina
  • Perda rápida de peso
  • Cansaço e fraqueza
  • Visão turva
  • Respiração difícil
  • Suscetibilidade a infecção de urina, vagina e ou pele

Além desses sintomas, outros exigem atendimento médico imediato. Esses são:

  • Tremores e confusão mental
  • Respiração acelerada e difícil
  • Mau hálito
  • Dor abdominal intensa
  • Perda de consciência

O Tratamento do Diabetes

O segredo de ter uma vida longa apesar do diabetes tipo 1 é manter os níveis de glicose o mais equilibrado possível. No caso do portador de diabetes tipo1, a pessoa indicada para avaliar quais os níveis adequados ao paciente é o médico, de preferência o endocrinologista. Os níveis de glicemia em jejum, considerados normais estão entre 70 e 99 mg/dl e, para os portadores de diabetes, os níveis glicêmicos a serem mantidos ficam entre 70 e 180 mg/dl. Para conseguir manter os níveis estabilizados, o paciente deve manter hábitos saudáveis, especialmente quanto à alimentação, praticar esportes ou atividades físicas, de acordo com a idade e fazer uso de insulina, entre 2 a 4 doses diárias, de acordo com a orientação médica. Os ajustes das doses devem sempre ser realizadas mediante os resultados dos testes de glicemia, que são realizados através dos aparelhos denominados glicosímetros. Para os usuários de insulina, são necessários, pelo menos 3 testes ao dia para os ajustes das doses. O uso diário de insulina é vital para controlar a glicose, uma vez que o organismo não é capaz de produzi-la.

 Diabetes Tipo 2

O Diabetes Mellitus Tipo 2, é a forma mais comum do diabetes, sendo responsável por aproximadamente 90 a 95% dos casos. Neste caso, quando o diabetes começa a se manifestar, embora as Ilhotas de Langerhans ainda produzam insulina, ela não consegue exercer seu papel. Para compensar essa falha, o pâncreas desencadeia uma produção de insulina cada vez maior. Esse tipo de diabetes está diretamente ligado ao modo de vida do paciente e ao excesso de peso. Cerca de 80% dos pacientes do tipo 2 estão em sobrepeso. Pesquisas comprovam que o que acaba desencadeando o Diabetes Tipo 2 são hábitos alimentares não saudáveis e sedentarismo.

Qualquer pessoa pode desenvolver diabetes tipo 2, embora o fator genético seja muito relevante neste tipo de diabetes. Além da genética, outros fatores de risco são:  sobrepeso, mulheres que desenvolveram diabetes durante a gestação, e pessoas com síndrome metabólica, que é caracterizada pela associação de várias disfunções como triglicérides e colesterol altos, ácido úrico acima do normal, dentre outros que acabam por aumentar ainda mais o risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A síndrome metabólica é considerada uma “doença moderna” e está intimamente relacionada à obesidade, alimentação inadequada e sedentarismo.

 Sintomas do Diabetes 2

  • Sede excessiva
  • Fome Excessiva (especialmente após as refeições;)
  • Boca seca;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor abdominal;
  • Necessidade de urinar muitas vezes e em grande quantidade;
  • Cansaço e fraqueza;
  • Visão turva;
  • Adormecimento das extremidades (pés ou mãos);
  • Dificuldade de cicatrização;
  • Impotência Sexual;
  • Respiração difícil;
  • Infecções frequentes de urina, pele ou vagina;

 Tratamento do Diabetes Tipo 2

O segredo da longevidade com boa saúde para portadores de diabetes tipo 2, está diretamente ligado à mudança de hábitos, reeducação alimentar, início de atividades físicas frequentes e manutenção do peso ideal. Acompanhar os níveis de glicose no sangue frequentemente, fazendo o possível para mantê-los dentro dos padrões considerados normais é outro aliado fundamental para os diabéticos do tipo 2. Também neste caso, o acompanhamento dos níveis de glicemia é feito através da utilização dos chamados glicosímetro sem nenhuma dificuldade também aqui é fundamental o acompanhamento do médico, em especial o endocrinologista que fará uso ou não de medicamentos orais – antidiabéticos orais – e/ou insulina ou outros medicamentos injetáveis, de acordo com cada caso. Somente um médico poderá prescrever ao paciente o tratamento mais adequado, entretanto o paciente deve estar consciente de que a manutenção de sua saúde depende de planejamento alimentar adequado à sua condição, prática de atividade física e utilização correta dos medicamentos prescritos pelo médico

Outros Tipos de Diabetes

Embora os Tipos mais frequentes sejam o Diabetes Tipo 1 e Tipo 2, ainda existem outros tipos que vale citarmos. São eles:

Diabetes gestacional
Caracteriza-se pela elevação da glicemia durante a gestação por conta da mudança hormonal na qual a mulher passa durante o período de gestação. O tratamento é baseado em atividades físicas e alimentação saudável e, quando necessário, utilização de insulina. O diabetes gestacional tende a desaparecer depois do parto.

Pré-diabetes
O pré-diabetes não é exatamente o diagnóstico do diabetes, mas um sinal de que você está prestes a desenvolvê-lo, caso não tome os cuidados necessários. O pré-diabetes se caracteriza por níveis de glicose mais altos do que o normal, porém, não chegam a configurar diabetes. Se você ainda está nessa fase, saiba que é possível revertê-la – o que acontece em cerca de 50% dos casos. Para isso, é necessário adotar uma alimentação saudável e praticar atividades físicas regulares.

MODY é o diabetes hereditário, que ocorre devido a problemas genéticos;

Também existem alguns tipos de diabetes que surgem por estarem associados a outras doenças, entre elas a pancreatite crônica, ou devido a interações medicamentosas, como o uso prolongado de medicamentos à base de corticoides.

Deixar um Comentário